OS REIS E OS SACERDOTES DO REINO

Como já mostrei nos temas a casa do pai, a cidade santa e a cidade murada. Os povos que acreditam na possibilidade de subir e morar no céu, e aqueles que crêem na possibilidade de que vai descer uma cidade literal imóvel do Céu, quando a terra for restaurada para eles habitarem nela. Têm como base o texto de João que diz: “Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu lhes teria dito. Vou preparar-lhes lugar, e se eu for e lhes preparar lugar, voltarei e vos levarei para mim, para que vocês estejam onde Eu estiver Jo 14. 2, 3. E o contexto… “Vi a Cidade Santa, a nova Jerusalém, que descia dos céus, da parte de Deus, preparada como uma noiva ataviada para o seu Marido” Ap 21. 2.

Os temas foram elaborados para esclarecer a todos, que a idéia de que vai descer uma cidade literal imóvel do céu para a terra, é profecia da profetisa Ellen G. White, profetisa da Igreja adventista do sétimo dia que profetizou que na volta de Cristo: Ele levará a Igreja para o céu e eles reinarão com Cristo os mil anos no céu. Diz à profetisa que ao terminar os mil anos: Assim que a terra estiver completamente restaurada, a suposta cidade literal imóvel que Jesus está preparando no céu descerá para a terra com eles dentro.

Os povos que acreditam na profecia da profetiza, deveriam saber que Jesus está se referindo a casa de Jacó, ou seja, a grande nação que Deus prometeu fazer do justo Abraão. E saber que Deus jurou colocá-los na terra para sempre. VER A VERDADE SOBRE O REINO DOS CÉUS. E saber também que se Jesus disse: Que na casa do Pai têm muitas moradas, em função de Ele ter como objetivo maior enviar a Igreja ao mundo inteiro para fazer a casa do Pai crescer Mc 16.15; Lc 24.47; At 1.8. E saber que o contexto de Ap 21. 2,3. Aplica-se para a sua noiva. Ap 21. 9. A Jerusalém de Deus Ap 21 10. E que a parir dos dias de João, e de Jesus Cristo em diante, a grande nação passou a ser a Igreja que Jesus enviou a evangelizar todas as nações da terra. Saber que o objetivo maior de Jesus Cristo, foi fazer os gentios se aproximarem da Igreja, aceitar Ele como Salvador, se batizarem em Nome dele e fazer parte da grande nação, ou seja, da cidade do Deus vivo Hb 12. 22.

Antes de as pessoas aceitarem a profecia de Ellen G. White, deveriam espiritualizar os textos e os contextos que chegariam à conclusão de que Jesus está falando da sua noiva, e não de uma cidade literal imóvel. Se espiritualizassem, saberiam que a cidade do Deus Eterno, aplica-se para a grande nação que Ele está preparando de todas as famílias da terra por meio da Igreja, para reinar com Ele na terra da promessa. VER A TERRA FOI DADA AOS HOMENS. Entenderiam também que os milhares de anjos aplicam-se aos anjos terrenos que formavam a casa de Deus naqueles dias. Deveriam saber que se a casa não tivesse muitas moradas, não daria para Jesus enviar a Igreja ao mundo inteiro, e não teria como tornar o Reino abrangente a todo o mundo habitado. Se eles levassem tudo isso em conta, não aplicariam a casa do Pai para uma cidade literal imóvel.

Como o tema é sobre os reis, os sacerdotes e os súditos do Reino, aqueles do povo que desejarem mais informações sobre a casa do Pai que Jesus disse que tem muitas moradas: E sobre a cidade santa, aquele que desejar mais informações dê uma olhadinha e VER A CASA DO PAI, A CIDADE SANTA A CIDADE IMÓVEL MURADA. Porque na continuação o tema falará dos vencedores que Jesus disse que vai dar poder: E explicar a todos o que significa o poder. “Aquele que vencer e fizer a minha vontade até o fim darei autoridade sobre as nações. Ele as regerá com cetro de ferro e as despedaçará como um vaso de barro” Ap 2. 26. 27.

O poder aplica-se para a transformação dos vencedores. Ou seja, todos serão revestidos de imortalidade na sua vinda. Eles passarão pelo revestimento para terem condições de reinar com Ele os mil anos na terra amada. Sem o revestimento será impossível. Porque a vida do homem perecível mal chega aos cem anos 1Co 15. 51 a 53. Será necessário Jesus revestir os seus escolhidos para eles ter condições de continuar vivos até a restauração de tudo At 3. 21. Depois Ele destruirá a morte 1 Co 15. 26. E entregará o Reino ao Pai 1 Co 15. 24. Onde não haverá mais morte Ap 21. 4; 22. 3.

Enquanto os ímpios que não herdarão a incorruptibilidade, continuarão perecíveis e perecerão na saraivada de pedras Ap 16. 21. Ou na grande ceifa dos anjos Mt 13. 41, 42. VER O CASTIGO DOS ÍMPIOS E O INFERNO DE FOGO. E aqueles que Ele der o poder da imortalidade, resplandecerão como o sal no seu Reino Mt 13. 43. Se eles espiritualizassem os contextos, com certeza entenderiam, e não aplicariam para uma cidade imóvel como vem ocorrendo, e a mensagem deles não colocaria o povo contra a razão. Tem povo que confundem o termo reger, com reinar. Eles podem crer que reger é para Ele, que regerá os vencedores das nações. E reinar é para todos os vencedores que reinarão com Ele na terra da promessa VER OS AMANTES DA TERRA.

Alguns dos vencedores reinarão com Ele como reis, outros como sacerdotes e a maior parte serão os súditos do Reino. E Ele regerá a todos. Eles confundem o termo reger com reinar, e a sua mensagem aplica para dizer: Que Ele vai dar poder para os vencedores reger nações. E por conta disso, passam a aplicar todos os contextos que a Bíblia fala que vai ficar nações na terra durante os mil anos: Para os súditos que a mensagem deles ensina que se converterão após a vinda de Cristo. Eu não sei de onde Eles foram tirar essa de que os vencedores reinarão sobre nações. E de onde tiraram essa de que todos os vencedores serão reis e sacerdotes. A Bíblia diz: Que Jesus “com cetro de ferro as regerá” Ap 2. 27. Ou seja, Ele regerá os vencedores que Ele der o poder da transformação. E os contextos confirmam isso Ap 12 5; Sl 2. 8.

O povo deveria saber que é em função de eles confundirem, e dizerem que todos os vencedores serão reis e sacerdotes para reinar sobre nações, que a mensagem passa a doutrinar o povo que os súditos do Reino se converterão após a vinda de Cristo. A Bíblia diz: Que o Cordeiro comprou com o seu “sangue homens de toda tribo língua, povo e nação” Ap 5. 9. E diz: Que para “Deus Ele constituiu reis e sacerdotes” Ap 5. 10. Mas não diz que todos os salvos serão reis e sacerdotes, não fala que eles reinarão sobre nações: E nem que vai se converter pessoas após a vinda de Cristo.

Todos podem ter certeza que é em função de eles dizerem que todos os salvos serão reis e sacerdotes: Que a mensagem passa a ensinar que os vencedores reinarão sobre nações; E que os súditos se converterão após a vinda. O contexto está afirmando que Ele vai constituir reis e sacerdotes, mas não está dizendo: Que todos eles serão reis e sacerdotes, e nem que eles reinarão sobre nações; Mas sim sobre a terra.

Outro equívoco que da mensagem comete é dizer: Que as varoas vencedoras também serão reis e sacerdotes. As Igrejas que fazem parte do sistema de governo administrado por eles não fazem parte do corpo governante, ou seja, não podem ocupar cargos no governo nas Igrejas. Se aqui na trajetória da Igreja, elas não têm direito de ocupar cargos ministeriais no governo, a mesma regra não deveria ser aplicada para o Reino Messiânico?

O povo sabe muito bem que as Igrejas que se deixam ser administradas por eles, são de comum acordo de aqui na trajetória da Igreja as varoas não fazerem parte do governo. No Reino de Cristo a mensagem diz que elas serão reis e sacerdotes por quê? Não deveriam aplicar a mesma medida? Lá no Reino de Cristo será diferente por quê?

O povo pode ter certeza que é pelo fato de eles dizerem que todos os salvos serão reis e sacerdotes: Que a mensagem tem que dar um jeitinho de ir contra os seus próprios princípios e levar as varoas à qualidade de reis e sacerdotes no Reino Messiânico. Ou seja, se eles ensinam que Jesus vai constituir todos os salvos como reis e sacerdotes; é óbvio que a mensagem tem que dar um jeitinho de confirmar e dizer: Que as varoas vencedoras que foram resgatadas por Cristo também serão reis e sacerdotes. De uma vez que eles ensinam que todos os salvos serão reis e sacerdotes, daria para a mensagem dizer: Que não? É óbvio que diante do quadro que eles ensinam, a mensagem tem que confirmar. E em função destes equívocos, a mensagem passa a ensinar que os súditos do Reino se converterão após a vinda do Messias.

O povo pode ter certeza que da mesma forma que Ele fez na trajetória da Igreja, ou seja, Ele escolheu alguns para apóstolos, outros como profetas, outros como evangelistas e outros como pastores e mestres para governo dos membros Ef 4. 11, 12; 1 Co 12. 28. Na sua vinda Ele fará a mesma coisa, ou seja, dentre os vencedores Ele escolherá alguns para reis, outros para sacerdotes, e a maior parte, incluindo as varoas serão os súditos do Reino.

A história dos reis de Israel mostra que os reis sempre foram varões. E a historia dos sacerdotes levitas tanto o sumo sacerdote, como os sacerdotes também sempre foram varões. Os doze apóstolos também foram varões. O povo pode ter certeza que se fosse para Ele alterar as coisas, Ele teria feito quando enviou os discípulos para as devidas missões Lc 9. 1 a 6. Os pronomes (eles), ou seja, “eles saíram e foram pelos povoados” Lc 9.6. Dá uma demonstração de que na qualidade de governo, todos eles foram varões. E também a missão dos setenta e dois discípulos Lc 10. 1 a 17. As pessoas que acreditam e aceitam a mensagem e levam em frente, deveriam analisar Isso, ou seja, se aqui na trajetória da Igreja, a mensagem deles excluem as varoas de fazer parte do corpo governante, e no Reino Messiânico coloca elas como reis e sacerdotes, evidência que a mensagem é equivocada, e não condiz com aquilo que eles ensinam.

Quanto ao equivoco de eles dizerem: Que os vencedores reinarão sobre as nações. Eu não sei de onde eles foram tirar essa de que os vencedores reinarão sobre nações. A Bíblia diz: Que eles reinarão sobre a terra, e não sobre nações Ap 5. 10. Todos podem ter certeza que é em função de eles dizerem que os salvos reinarão sobre nações: Que todos os textos e contextos que à Bíblia apresenta nações na terra para os dias do Reino milenar messiânico, a mensagem deles aplica para os súditos que segundo eles se converterão após a vinda de Cristo.

As pessoas que acreditam na mensagem deveriam desconfiar que se Cristo fosse colocar todos os vencedores para reis e sacerdotes; seria óbvio que Ele teria de dar um jeito de converter os súditos do Reino na vinda. Todos sabem que a mensagem diz que os salvos reinarão sobre as nações: Leia o texto e responda: Onde o texto está falando que os salvos reinarão sobre nações? “E eles cantavam um novo cântico: És digno de receber o livro e de abrir os seus selos, pois você foi morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo língua, povo e nação. E para o nosso Deus os constituístes reis e sacerdotes, e eles reinarão sobre a terra” Ap 5. 9, 10. Em lugar nenhum. Porque o texto está dizendo: Que eles reinarão sobre a terra, e não sobre nações.

A mensagem diz: Que Jesus vai dar poder para os vencedores sobre as nações, aplicando para os vencedores reger as nações que segundo a mensagem se converterão após a vinda para serem regidas pelos vencedores. Leia também o contexto e responda: Onde o versículo está dizendo: Que o Messias vai dar poder para os salvos no sentido de deixar nações na terra para eles reger? “Ao vencedor, ao que guardar as minhas obras até o fim, eu lhe darei autoridade sobre as nações, e com cetro de ferro as regerá” Ap 2. 26, 27. Em nenhum, e nem poderia dizer: Porque o versículo está dizendo que Jesus vai reger as nações que Ele deixar na terra: E as nações aplicam-se para os salvos de todas as nações, pelo fato de eles serem de todas as nações da terra, e também pelo fato de eles serem os únicos que Ele deixará na terra a partir de daquele dia em diante.

Eu sou do povo e leio o contexto e entendo que Jesus está dizendo: Que vai dar poder aos vencedores, e vai regê-los com cetro de ferro. E não vejo nada de vencedor regendo nações.

O povo pode ter certeza que os vencedores serão às nações que reinarão com Ele sobre a terra. Ou seja, as pessoas justas que serviram e que servem a Deus em toda a história da humanidade, desde Adão até a sua segunda vinda. Na sua volta Ele vai revestir a todos de imortalidade para dar condições de eles viverem os mil anos com Ele na terra. E eles serão os mansos que Jesus disse: Que herdarão a terra Mt 5. 5; Sl 25. 12, 13; 37. 9, 10, 22, 29, 34; 105. 11; PV 2. 21,22; 10. 30; Is 60.21; 57. 13; At 17. 26 1 Cr 16. 28; Dn 2. 35; 7. 27. Alguém além dos vencedores tem promessa de habitar a terra? Deus prometeu a terra para alguém além daqueles que obedecem as suas leis? Não foi para as pessoas que aceitam as condições e colocam em prática que Deus prometeu a terra como habitat para sempre? 1 Cr 16.16 a 18; Sl 105. 8 a 11; Hb 6. 17,18. Parece que se esqueceram o que a bíblia ensina.

O povo pode ter certeza que o poder que Jesus vai dar para os vencedores sobre as nações que não obedecem 2 Ts 1. 8. Mq 5. 15. Será no sentido de eles passarem pelo processo de revestimento de imortalidade para reinar com Ele sobre a terra. E as pessoas das nações que não obedecem ao evangelho, não vão receber o poder da imortalidade e perecerão pelo fato de eles não receber o poder da transformação.

O povo está aceitando a mensagem sem se tocar que as nações que a Bíblia fala que vai restar na terra para os mil anos: São aqueles que Ele comprou com o seu próprio sangue, ou seja, a grande nação que Deus prometeu fazer do crente Abraão. Se Deus prometeu sobre juramento dar a terra para eles. A Bíblia poderia incluir alguém além deles na terra para aqueles dias? É justo aplicar versículos da Bíblia que mostram os vencedores na terra adorando o Rei no Reino milenar Messiânico, para nações incrédulas, sobre falso argumento que eles se converterão?

Para que todos possam ter uma idéia, para justificar os meios e insistir em dizer que vai se converter pessoas na vinda de Cristo para cumprir o papel de súditos: A mensagem aplica contexto como este… Para dizer: Que pessoas incrédulas se convertendo após a vinda. “Todos os limites da Terra se lembrarão e se converterão ao Senhor” Sl 22. 27. As pessoas podem ter certeza que o contexto já foi cumprido na vida de Cornélio e os da sua casa. Eles foram os primeiros estrangeiros das nações a se converterem ao Senhor Jesus Cristo, e fazer parte da grande nação que Deus prometeu fazer do patriarca Abraão At 10. 28, 34, 47, 48. E continua se cumprindo na vida das pessoas estrangeiras que se convertem ao Senhor.

Uma mensagem que aplica contextos como esse… Que vem se cumprindo desde o primeiro século na vida das pessoas estrangeiras que se convertem ao Senhor Jesus, para dizer: Que vai haver conversões de pessoas incrédulas na vinda de Cristo para a qualidade de súditos, não vai contra a razão? Se o contexto já teve e está sendo cumprindo, eles não deveriam saber? Deus os colocou na Igreja para se deixar levar por tantos equívocos? A mensagem vai, além disso, e também ensina o povo, que no final dos mil anos, assim que a terra estiver completamente restaurada, uma cidade literal imóvel descerá do céu para o povo habitar nela. Eles não deveriam saber que foi Ellen G. White a profetisa adventista do sétimo dia, que profetizou assim? É correto um povo que não aceita Ela como profetisa, aceitar e divulgar em sua mensagem os escritos dela como doutrina? . VER A SANTA CIDADE E A CASA DO PAI.

As pessoas precisam desconfiar! Que de uma vez que a mensagem fala: Que todos os salvos serão reis e sacerdotes, e que eles reinarão sobre as nações, é óbvio que a mensagem vai ter que dar um jeitinho de colocar pessoas na terra na qualidade de súditos, pelo fato de que o Reino de Cristo terá reis sacerdotes e súditos. O povo antes de acreditar em uma mensagem assim; deveria imaginar que se fosse como a mensagem diz: Ou seja, se Ele fosse levar todos os salvos para ser reis e sacerdotes no seu reino, a quantidade de pessoas que Ele teria que converter na vinda para preencher o lugar de súditos? Imaginem se Cristo fosse colocar todos os salvos de toda a história da humanidade, os que serviram e os que servem a Deus, desde Adão até a sua volta, e também incluir as varoas para reis e sacerdotes, a quantidade de pessoas que Ele teria que converter para cumprir a função de súditos? A mensagem não coloca o povo contra a razão? Isso é ir contra a razão, e contra o que está escrito.

Onde a Bíblia está falando ao povo: Que todos os salvos serão reis e sacerdotes? E onde está dizendo: Que Jesus após a sua vinda vai converter pessoas para a função de súditos? Em nenhum versículo. E nem poderia falar: Por que o versículo esta dizendo que Ele vai constituir reis e sacerdotes: E isso com certeza Ele fará Ap 5. 10. Mas o contexto não está dizendo que Ele vai colocar todos os vencedores como reis e sacerdotes. E nem que os súditos se converterão após a sua vinda.

Eu sou parte do povo e leio o texto e os contextos em várias traduções da Bíblia, e não vejo a Bíblia dizer: Que Ele comprou pessoas de todos os povos, nações e línguas para reinar sobre nações. Vejo a Bíblia dizer sobre a terra, e que Ele as regerá, ou seja, Ele regerá os vencedores. Os vencedores aplicam-se para a grande nação Gn 12. 1,2; 17. 4; 22. 18; 28. 13; 35. 11; 48. 4. E serão eles que Deus promete deixar na terra de aquele dia em diante, e mais ninguém. Como parte do povo eu vejo a Bíblia dizer: Que eles são de povos nações e línguas, e aplica-se para as pessoas que Ele resgatou com o seu próprio sangue Ap 5. 9. Eles reinarão sobre a terra, e não sobre nações. Eles serão transformados para este fim 1 Co 15. 52; 1 Jo 2. 3. Para habitar a terra, e não para reinar sobre nações.

Quem vai reinar sobre as nações salvas será o Rei dos reis Zc 14. 9. Eu leio e entendo que Ele as regerá Ap 2. 27. “Ela deu à luz um Filho, um varão que há de reger as todas as nações com cetro de ferro” Ap 12. 5; Sl 2. 8. Todas as nações que Ele regerá na sua vinda, aplicam-se para os salvos das nações.

Às vezes eu pergunto a alguém do povo de onde eles foram tirar essa de todos os vencedores serem reis e sacerdotes, incluindo as varoas que a mensagem descarta elas de fazer parte do governo eclesiástico da Igreja, e essa dos vencedores reinar sobre nações e as respostas são de acordo com o que a mensagem ensina. Tem um provérbio popular que diz: Que um abismo puxa outro abismo, ou seja, um erro puxa outro erro. O povo não se dá conta que é pelo fato de a mensagem dizer que todos os salvos na vinda serão reis e sacerdotes: Que a mensagem passa a aplicar tantos equívocos. Eu sou do povo e ao ler a Bíblia entendo que o termo reger aplica-se para Ele que regerá os vencedores, e não para os vencedores regendo nações. E o termo reinar para todos que Ele deixar na terra. Ou seja, reger é para o grande Rei que regerá os seus escolhidos, e reinar para os escolhidos em geral. Eles serão os mansos que Ele disse: Que herdarão a terra. VER AOS VENCEDORES EU LHES DAREI AURORIDADE SOBRE AS NAÇÕES, QUEM SÃO ELES?.

O tema vai esclarecer melhor a todos que as nações que a Bíblia fala que vai habitar a terra nos mil anos com Cristo: Aplica-se para as pessoas que Ele comprou com o seu próprio sangue. E todos Eles reinarão com Ele sobre a terra. E mostrar que não vai ficar ninguém na terra além deles para o Reino messiânico, ou seja, Aqueles que rejeitam o evangelho de Cristo perecerão na vinda 2 Ts 1. 8; Mq 5. 15; Sl 37. 9,10, 22,34, Pv 2 21,22; 10,30; Is 60.21…

Este contexto a mensagem também aplica para dizer: Que vai haver conversões de pessoas incrédulas na vinda do Rei Jesus para os vencedores reger. “Assim diz o Senhor dos Exércitos: Naqueles dias dez homens de outras línguas pegarão na orla do vestido de um Judeu dizendo: Iremos convosco, pois sabemos que Deus está convosco” Zc 8. 23. Todos podem ter certeza que este contexto também teve e está tendo o seu comprimento na vida dos povos estrangeiros que se convertem ao Senhor, e é profecia cumprida. Eles não deveriam saber que o contexto teve, e está sendo cumprido? O obreiro não deve saber manejar bem a palavra da verdade? 2 Tm 2. 15.

As pessoas podem ter certeza que dez é um número simbólico e representativo das nações estrangeiras que no futuro se converteriam ao Senhor Jesus Cristo, para fazer a nação de Abraão se tornar grande. Ou seja, fazer o Reino se tornar abrangente, e não ficar restrito a Israel. Nesse caso se cumpriu também com Cornélio e sua casa. Cornélio era um estrangeiro e os fieis eram os apóstolos, e eram todos judeus. A roupagem aplica-se aos fundamentos que eles colocaram Ef 2. 20; 6. 14; Ap 3. 4,18. O povo pode estar certo que o contexto se cumpriu, e está se cumprindo. Não deveriam saber que os doze apóstolos e os profetas eram todos judeus? E todos os gentios que se convertem ao Senhor e são santificados, se santificam pelos fundamentos que eles colocaram? E saber que a roupagem se deve espiritualizar para os mandamentos de Deus? Não deveriam saber que todos os gentios que se tornam filhos de Deus, são orientados e doutrinados a obedecer à lei de Deus que é a roupagem espiritual dos apóstolos e dos profetas?

Todos podem crer que o contexto teve, e está tendo o seu cumprimento na vida das pessoas estrangeiras que se convertem, se batizam em nome do Senhor Jesus e aceitam as condições determinada pelo Pai celestial. E as condições são os fundamentos dos apóstolos e dos profetas Ef 2.20. O fundamento é a lei de Deus que Cornélio e os da sua casa aprenderam com os apóstolos a colocar em prática. E todas as pessoas estrangeiras que realmente se convertem ao Senhor, são orientadas pela Bíblia a pegar nas vestes dos profetas e dos apóstolos que têm seus livros contidos na Bíblia.

Eles são todos judeus, e todos os estrangeiros que se convertem ao Senhor, se vestem da “armadura de Deus para conseguir vencer os dias mal. Tomando também o escudo da fé, com o qual se podereis apagar dardos inflamados do maligno” Ef 6. 16. E tomando o capacete da salvação e a espada do Espírito, que a palavra de Deus Ef 6. 17. Ou seja. as vestes brancas são as vestes espirituais. “Aconselho-te que compres de mim ouro refinado no fogo para ficares rico, e roupas brancas para te vestires” Ap 3.18.

Como o povo está vendo, o contexto vem se cumprindo desde o primeiro século com os gentios que se convertem ao Senhor. “Estes que se veste de branco, quem são e de onde vieram? “Estes são os que vieram de grande tribulação, e lavaram suas, vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro” Ap 7. 13, 14; 9. Se eles espiritualizassem os contextos saberiam que pegar na orla do vestido de um judeu nesse caso, não se aplica literalmente, precisa espiritualizar os contextos. Se eles tivessem aprendido a manejar bem a palavra, não saberiam disso? É óbvio que sim.

Como o povo pode ver todos os contextos que eles aplicam para dar sentido na teoria de que vai se converter pessoas na vinda de Cristo para ser regidas pelos vencedores, já se cumpriram e eles fazem de conta que não sabem. Cristo na sua vinda vai dar o poder da transformação para os vencedores, e vai dar um fim em todos os ímpios da terra. E para dar um fim nos ímpios Ele desabará sobre eles uma saraivada de pedras, para cumprir o objetivo Divino de exterminar o joio da face da terra. “A cidade será fendida pelo meio, e o Senhor desabará sobre os homens grande chuva de granizo, com pedras que passam de um talento, e por causa da chuva de pedras, os homens blasfemarão de Deus, porquanto a sua praga será muito grande” Ap 16 19 a 21. Todos podem crer que quando Ele voltar, Ele vai exterminar os incrédulos que rejeitam as condições. E as nações que restar na terra aplica-se para a grande nação vencedora que Deus prometeu fazer do crente Abraão. Serão eles que subirão de ano em ano a Jerusalém adorar o Rei.

Depois que Ele enviar os anjos ceifeiros como um pente fino para ceifar todos os ímpios. “O Filho do homem enviará os seus anjos e eles colherão do seu Reino tudo o que causa escândalo e os que praticam iniqüidades; e os lançarão na fornalha de fogo” Mt 13. 41 Restarão na terra os vencedores e mais ninguém. Restar neste sentido, não se aplica no sentido de diminuí-los. Porque neste dia vão restar os melhores, ou seja, as árvores de frutos bom Mt 7. 19; Lc 3. 9.

O ramo que dá bom fruto, Ele disse que vai deixar para que dê mais frutos Jo 15. 2. Têm espertinhos entre o povo que para dar sentido e dizer: Que os remanescentes de Israel, se aplicam para os judeus endurecidos que segundo a mensagem deles se converterão após a vinda, falam que a Igreja não è resto: E o povo aceita essa inverdade sem saber que naquele dia restará na terra o trigo e mais ninguém. Isaias falou que poucos homens restarão na terra Is 24. 6. Os anjos ceifeiros colherão os ruins para queimar, e os bons vão sobrar na terra para adorar a Deus e o Rei. E os restantes das nações que subirão de ano em ano para adorar o Rei serão eles Zc 14. 16.

Paulo falou: Que todo o judeu que aceita o Cristo, o batismo e as condições que sobreviver a guerra do armagedom, com certeza serão salvos. Atualmente o trigo e o joio estão juntos, nem o trigo e nem o joio são resto. Não tem como aplicar resto para a Igreja antes vinda. Eles não deveriam saber que resto aplica-se para as pessoas que ficar na terra na vinda? As pessoas do povo sabem muito bem que se tiver “Dois no campo: Um será tomado, e deixado o outro Mt 24. 40. Duas estarão trabalhando no moinho: Uma será tomada e deixada à outra” MT 24. 41. Quem restará ali, não será a árvore frutífera? É obvio que sim MT 13. 43.

O joio será arrancado da terra e será queimado, independente de ele ser judeu ou gentio MT 13. 41,42. Mt 5. 5; Sl 25. 12, 13; 37. 9, 10, 22, 29, 34; 105. 11; PV 2. 21,22; 10. 30; Is 60.21; 57. 13; At 17. 26 1 Cr 16. 28; Dn 2. 35; 7. 27. As árvores que Ele deixar na terra não vai ser as árvores de bons frutos? Neste dia vão restar os melhores, ou seja, as árvores costumadas a dar frutos dignos de arrependimento Mt 7. 19; Lc 3. 9. Estão se esquecendo do ensinamento da Bíblia? Os poucos homens que Isaias falou: Que vai restar na terra são as árvores boas? Is 24. 3 a 6. Resto nesse sentido não se aplica no diminutivo. É obvio que se Deus vai tirar o joio, a sobra serão os filhos do Reino.

Isaias disse que: “A terra é profanada sobre a ação dos seus habitantes que transgridem a lei”? Is 24. 5. O ramo que dá bom fruto, Ele disse: Que vai deixar para que dê mais frutos Jô 15. 2. Os espertinhos para dizer que o resto aplica-se para judeus incrédulos, que se converterão após a vinda para dar sustentação no que ensinam, falam: Que na vinda de Cristo todo o Israel que sobreviver a guerra do armagedom se converterá ao Senhor.

O tema vai mostrar que o resto aplica-se para os homens dentre os judeus de frutos dignos de arrependimento. João Batista os mandou se arrependerem e “Produzir frutos digno de arrependimentos” Luc 3. 8; MT 3. 2. Aqueles que aceitam Jesus como Salvador, se arrependem de seus pecados e são batizados, com certeza não serão atingidos na vinda pela catástrofe da saraivada de pedras Ap 16. 21. E da ceifa dos anjos Mt 13. 41, 42. Nos dias atuais nem o trigo, e nem o joio são resto, ou seja, Jesus mandou os deixar crescer juntos Mt 13. 30. Ambos estão na terra e não vejo resto em nenhum deles. Quando Jesus enviar os seus anjos para colher o joio, daí sim vai remanescer, ou seja, restar o trigo na terra. VER OS REMANESCENTES DE ISRAEL.

Ele disse: Que só as árvores boas restarão na terra. Os espertinhos para dar sentido no que pregam, dizem que o trigo não é resto: E aplicam a mensagem para dizer: Que os judeus sobreviventes a guerra se converterão em geral. Aplicam também para falar que os súditos do reino também se converterão após a vinda. O povo pode ter certeza que o direito de adorar de aquele dia em diante, será somente para os mansos que Ele disse: Que herdarão a terra Mt 5. 5. E só eles restarão na terra. “Mil cairão ao teu lado, e dez mil a tua direita; mas você não será atingido” Sl 91.7. O povo precisa saber que os ímpios não vão receber o revestimento de imortalidade e por conta disso perecerão na vinda. E o restante das nações que vão subir a Jerusalém de ano em ano adorar o Rei, serão os vencedores. Zc 14. 16. A Bíblia atribui a eles como vencedores pelo fato de que serão eles que restarão de todas as nações, que subirão contra Jerusalém para o armagedom. E também pelo fato de que eles não vão perecer como vai perecer o Joio Mt 13. 43.

Da mesma forma que se junta o joio e se queima no fogo, assim será na consumação deste mundo. “O filho do homem enviará os seus anjos e eles apanharão do seu Reino tudo o que causa escândalo e os que praticam a iniqüidade, e os lançarão na fornalha de fogo, onde haverá choro e ranger de dentes” Mt 13. 40 a 42. “Como chama de fogo, e tomar vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo” 1 Ts 1. 8 O povo deve entender que naquele dia todos aqueles que não ouvem o evangelho do Reino perecerão.

E podem acreditar que o armagedom se cumprirá com todas as nações da terra, subindo contra Jerusalém para uma guerra, ou seja, todos os países do mundo vão enviar as suas forças militares para guerrear contra Jerusalém no Megido. Cristo voltará para por um fim na guerra e punirá todas as nações por todos os males, toda a desobediência contra Deus, adulterações nas suas leis, e rejeição ao Messias enviado VER O ARMAGEDOM. Será no armagedom que o grande Rei Jesus vai tomar o domínio e reinar Dn 7. 14; 2, 34, 35; Zc 1414.9. E quando Ele fizer cumprir a palavra de Deus, o povo pode crer que as pessoas que Ele deixar na terra, aplica-se para as nações que vão subir de ano em ano a Jerusalém adorar o Rei. Só vai restar na terra o trigo. Ou seja, as árvores que deram bons frutos.

Para finalizar o tema, eu quero dizer ao povo: Que se não bastasse à mensagem deles aplicar o contexto “Assim diz o Senhor dos Exércitos: Naqueles dias dez homens de outras línguas pegarão na orla do vestido de um Judeu dizendo: Iremos convosco, pois sabemos que Deus está convosco” Zc 8. 23. Para insinuar e dizer: Que na vinda de Cristo haverá conversões de Judeus incrédulos para se cumprir a restauração de Israel. E conversões de estrangeiros para cumprir o papel de súditos.

Eles ainda aplicam este contexto, para reforçar a mensagem e tentar convencer o povo na suposta conversão de judeus que negam o Cristo e as condições do batismo. “E sobre a casa de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém, derramarei o Espírito de graça e de súplicas, e olharão para mim, a quem eles traspassaram, e o prantearão, como alguém que chora por seu único filho, e sentirão muita dor por ele, como a angústia faz parte de uma pessoa, por causa de seu primogênito. Naquele dia grande será o pranto em Jerusalém. E a terra irá chorar família por família sozinha; a família da casa de Davi à parte, e suas esposas sozinhas, a família da casa de Natám à parte, e suas esposas sozinhas. A família da casa de Levi à parte e suas esposas sozinhas; a família de Simei à parte, e suas esposas sozinhas. Todas as demais famílias, separadas por famílias, e suas esposas sozinhas” Zc 12. 10 a 14

O povo pode estar certo de que no grande dia que as famílias de Israel chorarem amargamente no Reino Messiânico, as pessoas mortas da grande nação do patriarca Abraão, estarão ressuscitadas e transformadas. O choro acontecerá depois da ressurreição e da transformação dos mortos ressuscitados, e também dos vivos que aguardam a sua vinda. Se o povo analisar bem o contexto, verá que haverá famílias de todas as tribos de Israel chorando amargamente por Ele naquele dia. Mas não se trata de conversões de Judeus endurecidos que negam o Cristo e o batismo de ligação.

Todos podem ter certeza que no momento do choro, todos aqueles dentre os judeus que esperavam ansiosamente o nascimento do Messias, e morreram antes de Ele ter nascido e se manifestado a Israel como Rei; estarão ali presentes. Ou seja, aqueles judeus da época da circuncisão que ressuscitarem entre os salvos, ao saberem que o Messias que eles tanto esperaram com dores de parto Ap 12. 1,2. Nasceu, cresceu e se manifestou como Rei de Israel e foi rejeitado e sacrificado pelos israelitas, com certeza chorarão amargamente por Ele naquele dia. E o povo pode ter certeza que não terá ali pessoas incrédulas que negam o Cristo e as condições para ver o choro. E pode estar certo que a mensagem deles a este respeito, está completamente equivocada e contra a razão.

No momento do choro com certeza estarão ali olhando para Ele, todos os salvos de toda a história da humanidade que serviram a Deus obedecendo as suas leis. E entre eles estarão ali homens como Abraão, Isaque, Jacó, Moisés Davi e todos os profetas da “antiga aliança” que profetizaram a vinda do Messias para salvar Israel. Simeão “esperava a consolação de Israel. E quando os pais trouxeram o Menino Jesus para fazer com Ele conforme a lei ordenava. Simeão o tomou nos braços e louvou a Deus, dizendo: Agora, ó Soberano senhor, conforme tua palavra tu podes, despedir em paz o teu servo. Pois meus olhos já viram a tua salvação. Luz para revelação aos gentios e para glória de teu povo Israel” Lc 2. 25 a 32. Como aconteceu com os outros, Simeão com certeza também morreu antes de Jesus ter se manifestado como Rei, ter sido rejeitado e abatido pelos judeus incrédulos que o negaram como o Messias prometido.

Na ressurreição dos mortos em Cristo, Simeão e todos os justos que esperaram e não viram a sua manifestação como Rei a Istael, naquele dia eles estarão ali presentes olhando para Ele. E ao tomarem conhecimento da rejeição do povo de Israel ao esperado, terão motivo de sobra para chorar amargamente por Ele. Chorarão amargamente ao saberem que aquele que eles tanto esperaram com gemidos e dores de parto, eles o traspassaram.

Todos podem crer que os apóstolos Pedro e Paulo falaram que a pedra é preciosa para quem nela crer: De tropeço para aqueles que rejeitam. 1 Pe 2. 6 a 8. Paulo também falou que a pedra de tropeço foi colocada em Sião: E Eles tropeçaram Rm 9. 33. Razão pela qual o choro que Zacarias profetizou, não pode se cumprir na vida de quem se escandaliza com Ele, mas sim na vida daqueles que o aceitam. Sendo assim, todos aqueles que acreditam na mensagem deles, podem estar certos que chorarão amargamente por Ele, pessoas dentre os judeus que fazem parte da grande nação que Deus prometeu fazer do crente Abraão. Pessoas fiéis a Deus que dormem no pó da terra e vão ressuscitar para o grande dia. Eles esperavam ansiosamente a sua manifestação, morreram e não contemplaram o grande Rei. Na ressurreição ao olharem para Ele, e ao saberem que Israel como nação tropeçou na pedra preciosa, chorarão amargamente como quem chora pelo filho unigênito. VER O ARMAGEDOM E A RESTAURAÇÃO DE ISRAEL. E serão aqueles dentre eles que residirem fora de Jerusalém no Reino milenar Messiânico, que subirão de ano em ano ali em Jerusalém adorar o Rei.

O Rei Jesus falou que: “Como Foi nos dias de Noé, assim será a vinda do filho do Homem” Mt 24. 37 a 39. Naquele dia restou alguém além deles? Da para chamar as almas que se salvaram do dilúvio de resto no sentido de diminuí-los? Quando as águas do dilúvio baixaram, e a vida da família de Noé voltou ao normal, quem foram os adoradores de aquele dia em diante? Além deles, alguém adorou a Deus de aquele dia em diante? O povo pode crer que as nações que a Bíblia diz: Que vai restar na terra, depois da catástrofe da chuva de pedras e da ceifa dos anjos, aplicam-se exclusivo para os vencedores de todas as nações da terra.

Eles serão o restante das nações, reinarão com Ele na terra e subirão de ano em ano a Jerusalém adorar o Rei. E pode crer que concernente ao restante das nações, não se aplica no diminutivo. Porque naquele dia vão sobrar na terra às árvores frutíferas que deram bons frutos. Nos dias de Noé, ou seja, naquela catástrofe restaram árvores ruins? Não foram as árvores boas e frutíferas que Deus poupou com vida na terra? As oito almas que sobraram naquele dia foram resto no diminutivo? Resto para o dia da vinda de Cristo se aplica para aqueles que sobrarem com vida na terra. A Bíblia promete deixar alguém além do trigo na terra quando Ele voltar? O povo pode ter certeza que serão eles que vão fazer cumprir a profecia de Zacarias 14. 16. De Jesus Mt 5. 5. Davi Sl 105. 11; 37. 9, 10, 22, 34. Salomão Pv 2. 21, 22; 10, 30. Isaias Is 60.21… E mais ninguém. E podem ter certeza que Jesus não vai se colocar contra a razão. Dê uma olhadinha no tema, os remanescentes de Israel.

Leia Também

A IGREJA
A BÍBLIA
A DIVINDADE
JESUS CRISTO O FILHO DE DEUS
A RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO
A ASCENÇÃO DE JESUS CRISTO
JESUS CRISTO MEDIADOR
JESUS CRISTO DESCENDENTE DE ABRAÃO
A SEGUNDA VINDA DE CRISTO
A RESSUREIÇÃO DOS JUSTOS
A REGENERAÇÃO DOS JUSTOS
O TRONO DE DEUS
O TRONO DE DAVI SEU PAI
IDOLATRIA
ÍDOLOS E IMAGENS DE ESCULTURA
A PÁSCOA
O BATISMO APOSTÓLICO
A LEI DE DEUS
O SANTO SÁBADO
A TERRA FOI DADA AOS HOMENS
O JURAMENTO DIVINO
O REI
A ANTIGA ALIANÇA
A NOVA ALIANÇA
A CASA DO PAI
A SANTA CIDADE
A CIDADE MURADA
OS REIS E OS SACERDOTES DO REINO
OS REMANECENTES DE ISRAEL
DESVIO
COMO ERA OBTIDO O PERDÃO DE PECADOS NA ANTIGA ALIANÇA
COMO OBTER O PERDÃO DE PECADOS NA NOVA ALIANÇA
OUTRA FORMA DE OBTER PERDÃO DE PECADOS É PELO BATISMO EM SEU NOME
REBATISMO
NÃO RESTA MAIS SACRIFÍCIO
O PORCO E OUTROS ANIMAIS IMUNDOS
O SACRIFICIO NÃO FOI ABOLIDO
A CIRCUNCISÃO NÃO FOI ABOLIDA
O CASTIGO DOS IMPIOS
O TEMPLO DE DEUS
O NOVO NASCIMENTO
LIGAR E DESLIGAR
USO DE JÓIAS NA NOVA E NA ANTIGA ALIANÇA
USO DE JÓIAS NA ” ANTIGA ALIANÇA”
USO DE JÓIAS NA “NOVA ALIANÇA “
VESTUARIO MASCULINO E FEMININO
VAIDADE
A TRINDADE
O INFERNO DE FOGO
A MORTALIDADE DA ALMA ANTES DA RESSUREIÇÃO
IMORTALIDADE DA ALMA DEPOIS DA RESSURREIÇÃO
O REINADO DO MESSIAS
O JURAMENTO QUE DEUS FEZ COM ABRAÃO, ISAQUE E JACÓ
O REI E OS FILHOS DO REINO
AOS VENCEDORES EU LHES DAREI AUTORIDADE SOBRE AS NAÇÕES, QUEM SÃO ELES?
O DIZIMO DO SENHOR

A ORIGEM E LIGITMIDADE DA IGREJA
OS CENTO E QUARENTA E QUATRO MIL

OS AMANTES DA TERRA
A VERDADE SOBRE O REINO DOS CÉUS
A RESTAURAÇÃO DE ISRAEL

O ARMAGEDOM
O GOVERNO ECLESIÁSTICO E CENTRALIZADO DE ARÃO, OS DÍZIMOS DOS DÍZIMOS, OS SÁBADOS CERIMONIAIS, OS DÍZIMOS CERIMONIAIS DE ARÃO QUE FORAM ABOLIDOS; E O DÍZIMO DOS LEVITAS QUE PERMANECE ATÉ HOJE.