O PORCO E OUTROS ANIMAIS IMUNDOS

A bíblia não trata nenhum animal com tanta repugnância como o porco. A Lei de Deus proíbe que se coma a sua carne, pois é animal impuro para o consumo do povo de Deus. “E o porco, porque tem as unhas fendidas, e divide em duas, mas não rumina, esse é imundo como comida para vós. Não comais a sua carne nem toqueis em seus cadáveres; esses são imundos como alimentos” Lv 11. 7; “Dt 14. 8.

Como casas do Pai, devemos obedecer a sua palavra. Porque somos o templo de Deus e temos a palavra dos profetas e dos apóstolos como modelo e orientação e de fé Ef 2. 20. Devemos ter a Bíblia como regra de fé e pratica, e não trilhar caminhos diferentes, ou seja, não devemos nos desviar “nem para a direita nem para a esquerda” Dt 5. 32; 17. 11. Com a lei sobre a alimentação não pode ser diferente, devemos nos abster e não comer animais imundos.

Tem mensagem que aplica os contextos que Paulo desse: Que Cristo é o fim da lei, e aplica para desviar os povos do santo sábado e da lei da alimentação… Dizendo: Que Cristo aboliu o santo sábado e purificou os animais imundos. Todos podem ter certeza que Paulo se refere aos sábados cerimoniais e festivos que Isaias e Oséias disseram que seria abolido todo aquele sistema cerimonial e festivo por Cristo. “E acabarei com toda a sua alegria suas festas, suas luas novas, seus sábados e todas as suas solenidades” Os 2.11; Is 1. 13,14.

Quando Paulo disse: Que Cristo é o fim da lei Rm 10. 4. Ele se refere à lei cerimonial de sacrifícios, e das outras coisas contidas nas festas. Tanto é que em Rm 2. 13. Ele disse que: “Não são justos diante de Deus os que ouvem a lei, mas os que praticam é que serão justificados”.

Se a lei que Cristo aboliu não tivesse sido a cerimonial, ele teria dito isso? Com certeza não. Ele falou mais. Anulamos a lei pela fé? Não de modo nenhum! Antes estabelecemos a lei Rm 3. 31. Por ai se vê que a lei que Cristo aboliu foi à lei cerimonial e festiva. VER A LEI DE DEUS E O SANTO SÁBADO.

Os contextos aplicam-se para as leis cerimoniais que cessaram com o último sacrifício do Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo! Todos podem ter certeza, que só nas três grandes festas e no dia da expiação, continham seis sábados cerimoniais… Que cessaram com o último sacrifício do Cordeiro de Deus Lv 23.7, 8, 21, 27, 35, 36. Foi à lei cerimonial que Cristo aboliu na sua morte Gl 4.9; Cl 2. 16, 17. Aplica-se para todo aquele sistema cerimonial, contido nas festas que Cristo aboliu cravando todo o sistema no madeiro Ef 2.15; Cl 2.14. Inclusive as festas. VER O GOVERNO ECLESIÁSTICO E CENTRALIZADO DE ARÃO, AS FESTAS, OS SÁBADOS CERIMONIAIS, OS DIZIMOS CERIMONIAIS E FESTIVOS, OS DÍZIMOS DOS DÍZIMOS, E OS DÍZIMOS DOS LEVITAS QUE PERMANECE ATÉ HOJE.

Os animais que eram imundos continuam impuros. Escéto os gentios que os judeus tinham eles por imundos e Deus os purificou At 10. 11.9. Aplica-se de início para Cornélio e os da sua casa. Deus mandou Pedro matar e comer, ou seja, batizar e aceitá-los como irmãos na Igreja. E depois para todos os estrangeiros que aceitam o Cristo como Salvador, o batismo e as demais condições. O gentio que não aceita as condições continua impuro. Se uma pessoa que rejeita as condições continua impuro. O mesmo não se aplica para animais imundos? Aplicar o fim da lei cerimonial para orientar o povo a profanar o santo sábado e comer o imundo… É cometer injustiça contra a palavra.

Paulo era seguidor de Cristo que garantiu que: “Mesmo que o céu e a terra passem, não se omitirá um til da lei” Mt 5. 19. Ou seja, “é mais fácil o céu e a terra deixarem de existir, do que cair um til da lei” Lc 16. 17. Aplicam-se para a lei dos mandamentos morais permanentes, e não para as leis cerimôniais.

Todos podem ter certeza, que quando Paulo disse: Que não se deve julgar ninguém por causa da comida Cl 2. 16. Ele se referiu a tudo que a Bíblia diz: Que é alimento para o povo santo; aplica-se para as carnes de todas as espécies que a lei que permanece diz: Que um filho espiritual de Abraão pode comer Lv 11. 1 a 46; Dt 14. 1 a 20…

Os descendentes espirituais de Abraão Gl 3. 26 a 29… Sabem muito bem fazer diferença e separação entre as espécies que a Bíblia diz que é comida, e não comem nenhuma espécie que Ela fala: Que não é comida LV 11. 47. VER O PORCO E OUTROS ANIMAIS IMUNDOS.

E sabem que quando a Bíblia fala de comida: Ela não se refere a nenhuma espécie que ela repugna como alimento.

Eles sabem fazer diferença entre aquilo que a Bíblia diz que se pode comer e beber, e sabem abster-se daquilo que ela diz que não é comida e nem bebida: Ou seja, eles sabem fazer separação entre aquilo que a Bíblia manda comer, daquilo que a Bíblia diz: Que não é comida.

Para um filho espiritual de Abraão, nem tudo é comida, e nem tudo é bebida. Ou seja, os alimentos deles são restrito a tudo aquilo que a Bíblia os manda comer.

As espécies que a Bíblia manda comer, para eles é comida; e as espécies que Ela diz: Que não é comida: Eles não comem, porque para eles não é comida. E Paulo foi um dos principais deles.

Tanto é que na Igreja de Deus em Roma, ele deixou dito que: “Nenhum alimento é comum ou imundo em si mesmo, a não ser para aquele que considera imundo” Rm 14. 14.

Todos podem crer que nos dias de Paulo entre os irmãos da Igreja de Deus em Roma, havia alguns entre eles que só comiam legumes e cereais… Rm 14. 2. E não comiam carnes de espécies nenhuma que a Bíblia manda comer.

Eles iam, além, e diziam que as espécies que a Bíblia manda comer eram comuns e imundas como alimento. Tanto é que eles além de só comer legumes, grãos e sementes… Rm 14. 2. Ainda condenavam os irmãos de fé que comiam carnes que a Bíblia manda comer.

Se eles pensavam assim, é óbvio que as carnes das espécies que a Bíblia manda o povo de Deus comer; para eles eram imundas como alimento, e Paulo os chamou de fracos na fé por causa disso.

Quando Paulo disse que: “Um Crê que de tudo se pode comer” Rm 14. 2. Ele se refere a tudo aquilo que a Bíblia diz que é comida: Não se aplica para as espécies que não são comida; porque as escrituras não dizem: Que o porco, e as outras espécies imundas são comida. Ainda que tenha nações errantes que comam, para a Bíblia e para o povo de Deus não é comida.

Quando a Bíblia diz tudo: É tudo que Ela permite. Todos podem ver que a Bíblia diz que: “O Espírito Santo será derramado sobre toda a carne” Is 44. 3; Jl 2. 28. E os apóstolos esclareceram que toda a carne que a Bíblia se refere é restrita aos servos e as servas de Deus At 2. 18. Ou seja, toda a carne que obedece e serve a Deus At At 5. 32. O mesmo aplica-se para o que se pode comer.

Quando Paulo disse que: “Não se deve julgar ninguém por causa da comida”, Aplica-se para todas as espécies que a Bíblia manda comer.

Quando ele disse que: “Nenhum alimento é comum ou imundo em si mesmo, a não ser para aquele que considera imundo”, Ele se refere em tudo que a Bíblia diz: Que é alimento, e os vegetarianos tinham todas as carnes por imundas, a ponto de não comerem carne por fé, e não por opção.

Se a Bíblia manda comer os animais que têm a unha fendida, dividida em duas e rumina Lv 11. 14; Dt 14. 6. E dos peixes que têm barbatanas e escamas Lv 11. 9; Dt 14. 9. Das aves têm espécies que se podem comer, e espécies que não se pode Lv 11. 13 a 19; Dt 14. 11 a 21. E alguns insetos se pode comer e outros não Lv 11. 22.

E na Igreja de Deus de Roma tinha alguns irmãos que só comiam legumes e cereais… E eles condenavam os irmãos de fé que comiam carne permitida pela Bíblia como alimento; é óbvio que Paulo como ministro da palavra, se achou no direito de chamá-los de fracos na fé.

Paulo sendo um ministro da palavra de Deus sabia que nem os que comiam, nem os que não comiam estavam ferindo a lei. Ou seja, se alguém come carne de animais que a Bíblia permite o consumo, e tem outro que é vegetariano, nenhum deles está ferindo a lei de Deus.

Quem está ferindo a lei de Deus são os mensageiros que aplicam o que Paulo falou, para animais imundos, e mandam os povos comerem aquilo que a Bíblia repugna como alimento.

Aquela pessoa que aceita uma mensagem assim, e come o porco, e outras espécies que a Bíblia repugna como comida fica pervertida, porque isso perverte os povos, e faz muitos deles pecarem contra a lei de Deus e comerem o imundo pensando que é comida.

Todas as espécies que a Bíblia diz que não é comida, continuam imundas. Excéto os gentios que os judeus tinham eles por imundos e Deus os purificou, e continua purificando todos aqueles que se convertem ao Cristo e obedecem as condições At 10. 11 a 14, 28.

Aplica-se primeiro para Cornélio e os da sua casa. Deus mandou Pedro matar e comer, ou seja, batizar e aceitá-los como irmãos de fé na Igreja. E depois para todos os estrangeiros que aceitam o Cristo como Salvador, o batismo e as demais condições. O homem que não aceita o Cristo e as condições, para Deus continua impuro, ainda que ele seja um israelita.

Se as pessoas que rejeitam o Cristo, e as condições continuam imundas, é óbvio que as espécies que a Bíblia diz que são impuros: Ela continua repugnando como alimento.

Aplicar o fim da lei cerimonial para orientar os povos a profanar o santo sábado, e comer aquilo que a Bíblia repugna como comida, ou seja, o imundo… É coisa de povos errantes que não têm compromisso com Deus e com a sua palavra.

Para que todos possam entender, Paulo completa o contexto dizendo que não se deve julgar ninguém pelas festas israelitas: Pelos feriados das luas novas, ou por causa dos sábados festivos Cl 2. 16. Os sábados aplicam-se para os dias solenes das festas abolidas com a morte de Cristo Lv 23. 6, 8, 21,24, 28, 35, 36… Os sábados solenes eram além dos sábados do Senhor, e foram removidos como dias solenes por serem cerimoniais e festivos.

Tanto é que Paulo disse que; “Havendo riscado a cédula que eram conta nós nas ordenanças, que nos eram contrárias, e a removeu do meio de nós e a cravou no madeiro Cl 2. 14. Ele se refere a todo o sistema de ordenanças cerimônias, solenes e festivas, que a lei exigia que fossem cumpridas nas festas dos israelitas que foram removidas pelo Cordeiro de Deus!

E completando Paulo disse: “Que são sombra das coisas futuras” Cl 2. 17. Isso não tem nada a ver com o santo sábado do Senhor, e nem com as espécies que não são comida…

E disse que: “Tudo que Deus criou é bom, e, sendo recebido com ações de graças, nada e rejeitado como impuro; porque pela palavra de Deus e pela oração é santificado” 1 Tm 4. 4, 5. Esse “tudo que Deus criou”; Paulo se refere a tudo àquilo que Ele criou como alimento, e é restrito a tudo aquilo que á Bíblia diz: Que se pode comer Lv 11. 1 a 46; Dt 14. 1 a 20…

Tanto é que ele disse que: “Assim diz o Senhor, não toqueis dada imundo” 2 Co 6. 17. E além da Bíblia mandar não tocar no cadáver do porco Lv 11. 8; Dt 14. 8. Isaias profetizou que na vinda de Cristo “os que comem carne de porco serão consumidos” Is 66. 17…

O bom entendedor sabe que o porco a palavra de Deus manda “não comer da carne dele, e nem tocar no seu cadáver” Lv 11. 8; Dt 14. 8. E sabe que Deus jamais iria se contradisser, e mandar o seu povo dos últimos dias, orar e comer aquilo que Ele recomendou o seu povo do passado não comer, e nem tocar no seu cadáver.

O bom entendedor sabe que Deus disse para Moisés dizer ao povo israelita não comer e nem tocar no cadáver do porco: E sabe que Ele não iria se contradisser e mandar o seu povo dos últimos dias prepararem a carne do porco, colocar na mesa, orar e comer. Esse “tudo que Deus criou”, todos podem ter certeza que é tudo que Ele criou como alimento. O mesmo aplica-se para toda a carne que Deus derramou o Espírito Santo; ou seja, toda a carne que serve a Deus.

Vejam que ele se refere aos vegetarianos que por não comerem carne, proibiam “o alimento que Deus Criou para serem recebidos com ação de graças pelos que crêem e conhecem a verdade” 1 Tm 4. 3. Ou seja, os que conhecem a verdade são os fiéis da Igreja.

No caso dos vegetarianos que Paulo se referiu em romanos 14, eles eram da Igreja, e os de 1 Tm 4. 3, não. E o alimento que Deus criou para serem recebidos com ação de graça, aplica-se para todas as espécies que a Bíblia diz: Que é comida.

Como todos podem ver não há contradição nenhuma no ensinamento da Bíblia. A contradição está no ensinamento alguns mensageiros que torcem as escrituras para a sua própria condenação, e dos povos que aceitam a palavra mal interpretada.

Os mensageiros que comem de tudo que a Bíblia proíbe como alimento; aplicam os contextos para o imundo, no objetivo de justificar os meios de eles comerem o imundo, e levarem multidões de povos a seguí-los no erro.

Todos podem ter certeza que pelo fato de ter multidões de povos seguindo mensagens e mensageiros no erro, não significa que a Bíblia concorda com povos que seguem mensageiros que vão além do que está escrito. Liberdade de fé é uma coisa, e as pessoas fazerem o que a Bíblia condena é outra coisa bem diferente.

Além do porco, têm outros animais, aves, peixes, insetos e répteis imundos que os povos comem, dos quais o povo de Deus não come Lv 11. 1 a 47; Dt 14. 1 a 21. Essas espécies são consideradas impuras como alimento para o povo santo. Elas fazem partes da cadeia alimentar de outros seres vivos, e têm povos e nações errantes que comem.

Elas não faziam parte da alimentação do povo de Deus na “Antiga Aliança”, e nem fazem parte da alimentação do tabernáculo de Davi que está sendo restaurado com a missão da Igreja na “nova aliança”. VER A ORIGEM E LEGITIMIDADE DA IGREJA, OS CENTO E QUARENTA E QUATRO MIL E A RESTAURAÇÃO DE ISRAEL.

Aqueles que estão sendo santificados pela palavra de Deus Jo 17. 17, segundo a lei de Deus, santificam o santo sábado Lc 23. 54 a 56. Não comem animais imundos… Porque é abominação ao Senhor seu Deus, porque para eles “mesmo que o céu e a terra passem, não será omitido um jota ou um til da lei” Mt 5. 18, 19; lc 16. 17. O Senhor por meio da sua lei ensinou a fazer diferença entre os animais limpos, dos imundos, ou seja, fazer separação e mandou comer apenas os limpos Lv 11. 1 a 47; Dt 14. 1 a 29.

Ele promete queimar no fogo eterno os comedores de suínos e de outros animais imundos Is 66. 15 a 17. Ele falou que os comedores o irritam Is 65. 3,4. Os que comem carne de porco, abominação e o rato, juntos serão consumidos diz o Senhor Is 66. 16; 17. Os que comem animais imundos, muitos deles vão ver a diferença tarde de mais. A mensagem que a Bíblia têm para todos os povos que vivem nestas condições é eles aceitarem a realidade enquanto é tempo de salvação, mudarem de opinião, e aderirem às verdades da Bíblia para serem salvos naquele dia. Todos têm possibilidades de serem salvos, basta aceitarem as condições, e colocá-las em prática.

Leia também

A IGREJA
A BÍBLIA
A DIVINDADE
JESUS CRISTO O FILHO DE DEUS
A RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO
A ASCENÇÃO DE JESUS CRISTO
JESUS CRISTO MEDIADOR
JESUS CRISTO DESCENDENTE DE ABRAÃO
A SEGUNDA VINDA DE CRISTO
A RESSUREIÇÃO DOS JUSTOS
A REGENERAÇÃO DOS JUSTOS
O TRONO DE DEUS
O TRONO DE DAVI SEU PAI
IDOLATRIA
ÍDOLOS E IMAGENS DE ESCULTURA
A PÁSCOA
O BATISMO APOSTÓLICO
A LEI DE DEUS
O SANTO SÁBADO
A TERRA FOI DADA AOS HOMENS
O JURAMENTO DIVINO
O REI
A ANTIGA ALIANÇA
A NOVA ALIANÇA
A CASA DO PAI
A SANTA CIDADE
A CIDADE MURADA
OS REIS E OS SACERDOTES DO REINO
OS REMANECENTES DE ISRAEL
DESVIO
COMO ERA OBTIDO O PERDÃO DE PECADOS NA ANTIGA ALIANÇA
COMO OBTER O PERDÃO DE PECADOS NA NOVA ALIANÇA
OUTRA FORMA DE OBTER PERDÃO DE PECADOS É PELO BATISMO EM SEU NOME
REBATISMO
NÃO RESTA MAIS SACRIFÍCIO
O PORCO E OUTROS ANIMAIS IMUNDOS
O SACRIFICIO NÃO FOI ABOLIDO
A CIRCUNCISÃO NÃO FOI ABOLIDA
O CASTIGO DOS IMPIOS
O TEMPLO DE DEUS
O NOVO NASCIMENTO
LIGAR E DESLIGAR
USO DE JÓIAS NA NOVA E NA ANTIGA ALIANÇA
USO DE JÓIAS NA ” ANTIGA ALIANÇA”
USO DE JÓIAS NA “NOVA ALIANÇA “
VESTUARIO MASCULINO E FEMININO
VAIDADE
A TRINDADE
O INFERNO DE FOGO
A MORTALIDADE DA ALMA ANTES DA RESSUREIÇÃO
IMORTALIDADE DA ALMA DEPOIS DA RESSURREIÇÃO
O REINADO DO MESSIAS
O JURAMENTO QUE DEUS FEZ COM ABRAÃO, ISAQUE E JACÓ
O REI E OS FILHOS DO REINO
AOS VENCEDORES EU LHES DAREI AUTORIDADE SOBRE AS NAÇÕES, QUEM SÃO ELES?
O DIZIMO DO SENHOR

A ORIGEM E LIGITMIDADE DA IGREJA
OS CENTO E QUARENTA E QUATRO MIL

OS AMANTES DA TERRA
A VERDADE SOBRE O REINO DOS CÉUS
A RESTAURAÇÃO DE ISRAEL

O ARMAGEDOM
O GOVERNO ECLESIÁSTICO E CENTRALIZADO DE ARÃO, OS DÍZIMOS DOS DÍZIMOS, OS SÁBADOS CERIMONIAIS, OS DÍZIMOS CERIMONIAIS DE ARÃO QUE FORAM ABOLIDOS; E O DÍZIMO DOS LEVITAS QUE PERMANECE ATÉ HOJE.